Thread Rating:
  • 0 Vote(s) - 0 Average
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Guia oficial de configuração do PCSX2 v0.9.7 - Português (Portugal)
#1
Neste guia, irei tentar explicar como deves configurar correctamente o PCSX2, bem como também dar algumas dicas para melhor correr os jogos no mesmo. Sigamos então para os passos deste guia:
NOTA: Uma vez que a selecção de línguas ainda não está implementada no emulador, eu direi em Português as definições a serem mudadas, seguido das mesmas entre parênteses ( ) em inglês, para melhor ajudar a localizar a mesma no programa.

1) Faz o download do PCSX2 v0.9.7 AQUI.
2) Existem 3 formas de se fazer o download do PCSX2: Instalador completo (full installer), Instalador via web (web installer) e Executável (binary). O instalador completo contém o programa de actualização automática via web do Direct X (Direct X run time) incorporado, o Instalador via web contém uma opção de instalação do Direct X, também via web, e por fim o Executável trás apenas o emulador com os respectivos plugins. Faz o download do que achares mais conveniente, no entanto se não sabes qual escolher, faz o download do Instalador completo de modo a prevenir problemas.
3) Instala o programa (caso tenhas feito o download a versão de instalador) ou caso tenhas feito o download do executável, abre o ficheiro e extrai o conteúdo do ficheiro para uma pasta só dele (por exemplo: C:\PCSX2).
4) Abre o ficheiro “pcsx2.exe” que se encontra na pasta para onde extraíste os ficheiros.

Para os utilizadores de Linux:
Faz o download do executável aqui ou do código fonte a partir do Google Code. Para compilares a partir do código fonte, segue as instruções do Guia de compilação do PCSX2 para Linux.
Deverás precisar dos seguintes pacotes instalados: libasound2-dev, libbz2-dev, libgl1-mesa-dev, libglew1.5-dev, libglu1-mesa-dev, libgtk2.0-dev, libjpeg-dev, libsdl1.2-dev, libsoundtouch1-dev, libsparsehash-dev, libwxbase2.8-dev, libwxgtk2.8-dev, libx11-dev, nvidia-cg-toolkit, portaudio19-dev, zlib1g-dev.

Os plugins normalmente utilizados no Linux são: ZZOgl-pg (or ZZOgl), SPU2-X, ZeroSPU2, OnePad, Linuz Iso, EFP Iso, e EFP Polling.


Índice
  1. Configuração dos Plugins
  2. Configuração da BIOS
  3. Configuração do núcleo do emulador (core)
  4. Configuração de outras opções (Misc. Settings)

Iniciando a configuração do PCSX2


A nova versão do PCSX2 tem pela primeira vez uma instalação auxiliada (como a que vez em maior parte dos programas) que te irá ajudar a configurar o emulador mais facilmente. Iremos começar a configurar o PCSX2 usando-a.
Na primeira janela, é-te perguntado qual a língua que pretendes usar para o programa e também onde desejas instalar o emulador (onde ele irá guardar os seus ficheiros e definições).

No primeiro menu desdobrável, escolhe a língua em que queres ver o emulador (ainda não implementado).

Para os ficheiros do programa, podes escolher se queres gravá-los na tua pasta “Os Meus Documentos”, ou se os queres gravar numa outra localização à tua escolha.
Para os ficheiros de configuração do programa (program’s configuration settings), poderás deixar por pré definição, ou então retirar o visto de “use defauld settings” e escolher uma pasta no teu sistema clicando em “Browse”. “Abrir no Explorador” (Open in Explorer) apenas irá abrir a pasta que escolheste. Caso a pasta que escolheste não exista, ser-te-á perguntado se desejas criá-la.

Após clicar em seguinte (Next), na segunda janela poderás escolher com que plugins (uma espécie de “controladores” em português) queres que o emulador trabalhe. Para melhor escolheres os mesmos, recomendamos que termines primeiro termines de ler este guia, pois no mesmo cada um dos plugins é descrito com detalhe. Por agora, podes deixar os plugins de origem (defauld), pois mais tarde poderão ser modificados.
Aqui também podes escolher uma pasta diferente para os plugins, caso queiras, basta para isso retirar o visto de “use defauld setting” e escolheres outra pasta clicando em “Browse”. Como dito anteriormente, “Open in Explorer” irá abrir a pasta que escolheste.

Uma vez clicado em seguinte, serás presenteado com a terceira e ultima janela da configuração inicial. Nesta janela, ser-te-á perguntado que BIOS queres usar no emulador. Caso não consigas ver nada na lista, precisarás ou de copiar os ficheiros de BIOS para a pasta vista em baixo, ou de mudar o caminho da pasta para a pasta em que tens os ficheiros os ficheiros da BIOS a usar.

Para mais informações sobre a BIOS, lê a parte Guia de configuração da BIOS Que se encontra neste guia. Caso não tenhas escolhido a bios, NÃO irás conseguir utilizar o PCSX2. Por fim clica em “Finish” para terminar o guia de instalação auxiliada.


Esta é a janela (GUI) principal do PCSX2 (GUI - Graphical User Interface). A partir desta, podes mudar as várias definições ou plugins usados pelo PCSX2 de modo a que se adeqúem às tuas necessidades. Comecemos por configurar os plugins, e de seguida iremos passar às definições do núcleo (Core) do emulador.

Clica em “Config”, e de seguia no selector de “Plugin/Bios”, de modo a escolheres os plugins/bios que pretendes que o PCSX2 use. Se abriste a janela correcta, verás uma janela parecida com a da imagem abaixo (clica na mesma para ver em grande):


Existem 3 separadores, Plugins, BIOS e Pastas.

Separador “Plugins” do “selector de Plugins/BIOS”:


Primeiro que tudo, podes retirar o visto da caixa de selecções “use defauld setting” que se encontra no fim da janela, sendo que se preferires, também podes escolher outra pasta clicando em “Browse”. Esta é a pasta de onde o PCSX2 irá carregar os plugins a usar.
À esquerda da lista, tens o nome do componente que cada plugin irá emular (gráficos (GS), controlos (PAD), som (SPU2), etc), e logo a frente destes, mais ao centro da janela encontras os “menus cascata” para escolheres o plugin a usar, sendo que à direita tens o botão “Configure” que irá abrir a janela de configuração respectiva a cada plugin. Lembra-te que quando mudas o plugin seleccionado terás que carregar em “Apply” para que o emulador carregue o novo plugin e faça o respectivo botão “Configure” aparecer.
Agora vamos à configuração dos plugins em si (individualmente):

Gráficos (Graphics):



Primeiro, vamos verificar qual é o nível de suporte que a tua placa gráfica tem em termos de Direct X (caso uses Windows) e Pixel Shader. Para verificares isso, clica aqui.

Após isto, vamos aos plugins. Tens a possibilidade de usar um dos 3 seguintes plugins: GSdx v0.1.16, ZeroGS v0.97.1, and GSnull driver v0.1.0.

GSdx v0.1.16 é um plugin que pode usar DirectX 9 ou DirectX 10/11 para fazer a emulação gráfica. Este plugin foi criado por Gabest sendo que tem vindo a conseguir um nível cada vez melhor em termos de velocidade e qualidade de imagem. Este requer para funcionar que o teu CPU suporte no mínimo as instruções SSE2, e a tua gráfica, Pixel Shader 2, sendo que de modo a funcionar em DirectX 10/11 requer Windows Vista, ou Windows 7 (os modelos anteriores do Windows só suportam DirectX 9).
ZeroGS v0.97.1 é um plugin já relativamente desactualizado que utiliza DirectX 9, sendo que este para funcionar requer uma placa gráfica que suporte Pixel Shader 2. Não é recomendável o uso deste, a menos que tenhas problemas com o GSdx. O uso do Zero GS é principalmente suprimido pelo ZZOgl, que usa OpenGL para funcionar, sendo o plugin preferido para quem usa Linux, não só devido ao suporte OpenGL mas também pois este resolve grande parte dos problemas que poderias encontrar usando o ZeroGS.

GSnull é um plugin nulo, e como a palavra o sugere, serve para fazer com que o PCSX2 não emita qualquer imagem para o ecrã. Este é usado principalmente pelos desenvolvedores para testes (debug).


Seleccione o GSdx v0.1.16 e carregue no botão “Configure”.

  • Primeiro que tudo, o GSDX vem em 3 versões: SSE2, SSSE3 e SSE4.1. APENAS SE o teu processador suportar tais instruções, deverás seleccionar a versão do SSE mais alta que o teu processador suportar, pois isto irá resultar numa emulação mais rápida dos jogos, caso contrário, se escolheres uma versão não suportada pelo teu CPU, o PCSX2 irá bloquear (crashar) constantemente.
    Lista de CPU’s que suportam SSE2: Verifica aqui
    Lista de CPU’s que suportam SSSE3: Verifica aqui
    Lista de CPU’s que suportam SSSE4: Intel Core 2 Duo Penryn series (E7xxx,E8xxx and Q9xxx models) Intel Corei5, Intel Corei7

  • Para usar o modo DirectX 10/11, precisarás de ter como sistema operativo o Windows Vista ou Windows 7 bem como uma placa gráfica que suporte DirectX10 (Ver links anteriores)

  • Renderer: Aqui podes escolher como os gráficos serão renderizados.

    Ao escolher “Direct3D9 (Hardware)”, o GSdx usará as capacidades de Direct3D da tua placa gráfica, dando uma ajuda bastante significativa em termos de velocidade de emulação.
    Ao escolher “Direct3D10/11 (Hardware)”, (apenas seleccionável no Vista/Windows 7 com uma placa gráfica que suporte DX10/11), o GSdx usará as capacidades de Direct3D10/11 da mesma, sendo que este modo é normalmente sempre o mais rápido, e por vezes ainda possui uma maior compatibilidade com os vários jogos. É o modo recomendado, caso o teu sistema o suporte.
    Ao escolher “Direct3D9 (software) ou Direct3D10/11 (este ultimo, só em Windows Vista ou Windows 7)”, o GSdx usará o seu renderizador integrado para processor os gráficos, sendo que todo o processo de renderização será feito por software, ou seja, será o teu processador a renderizar os gráficos, resultando num uso nulo da tua placa gráfica. Usando este modo, a velocidade da emulação é bastante reduzida em comparação com o modo “Hardware”, mas usando este modo terás a compatibilidade máxima suportada por este modo de Direct3D. Só é recomendado o uso deste modo (software), caso encontres problemas a nível gráfico usando o modo “Hardware”.

    Ao escolher “Direct3D9 (null)”, “Direct3D10/11 (null)”, “Null (Software)” ou “Null (null)”, o GSdx não irá renderizar nada, ou seja, não será dada imagem para o ecrã. Usa apenas estes modos para se pretenderes apenas, por exemplo, estar a ouvir músicas do jogo, pois com estes modos, terás um enorme aumento de velocidade da emulação em geral.
  • Interlacing: Aqui podes escolher entre “None” e 6 outras mais técnicas de entrelaçamento de imagem, que são principalmente usadas para remover o “tremer” da imagem no ecrã. Dentro dos parênteses à frente do nome de cada modo, poderás ver o seu respectivo efeito e talvez as desvantagens (por exemplo, como a metade dos frames (FPS) anotada no Blend) que cada um destes modos tem. Podes activá-los ou desactivá-los durante o jogo, carregando na tecla “F5” várias vezes.


    Selecção de Escala (Scaling Subsection):

    Apenas disponível caso esteja em uso um modo de renderização que seja “Hardware”. Com estas opções, podes melhorar significante-mente a qualidade de imagem proveniente da emulação dos jogos, sendo que poderás aumentar a resolução em que as texturas são renderizadas e/ou aplicar filtros às mesmas. Lembra-te que ao mudar a resolução de “Native” para outra, poderá causar alguns erros na imagem (normalmente, são apenas erros menores quase imperceptíveis, mas é possível de ocorrerem alguns bem mais graves, porém apenas em casos mais raros isso se sucede).


  • D3D internal res: Aqui podes especificar a resolução exacta a que pretendes que usar! Desta forma, se o teu PC for suficientemente forte (especialmente em termos de placa gráfica), poderás jogar os teus jogos favoritos de PS2 numa resolução bem maior, dando um nível de detalhe gráfico extremamente superior!
    Tem em atenção de que, quanto maior a resolução usada, maior será a utilização dos recursos da tua gráfica por parte do plugin, sendo que poderá mesmo fazer a emulação ficar lenta caso a tua gráfica não aguente.


  • Scaling (escala): Escolhe 1x para usar a resolução escolhida acima. Ao escolheres outro que não 1x, ou seja, 2x a 6x, resultará na multiplicação da resolução nativa pelo respectivo valor, sendo que, por exemplo, se a resolução nativa do jogo for 640x320, ao escolher 3x a resolução será 3 vezes maior que o valor anteriormente descrito, resultando numa resolução de 1920x960). Desta forma, poderás prevenir erros que possam vir a acontecer por usar uma resolução customizada. NOTA: ao escolher outro valor que não 1x, a resolução customizada escolhida acima não terá qualquer efeito sobre o emulador, apenas terá caso seja escolhido 1x.
    Por agora, maior parte das placas gráficas conseguem perfeitamente suportar um nível de escala de 2x ou 3x, sendo que poderás ter quebras de velocidade ao usar níveis maiores, a menos que tenhas uma placa gráfica de ultima geração, nesse caso, a mesma poderá até mesmo suportar 6x perfeitamente!

  • Native: Ao escolheres esta opção, o plugin usará a resolução nativa da PS2 para renderizar a imagem, sendo que ao escolhe-la, as opções D3D Internal res e Scaling ficarão bloqueadas, precisamente por isso, para usar a resolução nativa.

    Sub secção do modo Hardware (Hardware mode Subsection):

    Apenas disponível se for escolhido um modo de renderização que use “Hardware”. Aqui poderás mudar algumas opções que poderão dar mais velocidade, ou até melhor qualidade de imagem.

  • Filtros de textura (Texture filtering): Esta opção tem 3 estados: Com visto, sem visto e indisponível (cinzenta). Quando seleccionada com um visto, tudo no ecrã, seja 2D ou 3D será filtrado usando o filtro Bilinear. Quando retirado o visto, o filtro é totalmente desactivado sendo que desactivado, irá causar uma perda de qualidade acentuada, mas poderá ajudar a obter uma maior velocidade da emulação em algumas placas gráficas mais fracas.

  • Logarithmic Z: (Apenas em modo DX9) Esta opção, quando activada, poderá ajudar alguns jogos que têm problemas de transparência em alguns gráficos, resolvendo problemas como paredes transparentes. É recomendado ter esta opção activada (com um visto).

  • Permitir texturas de 8-bit (Allow 8-bit textures): Usa as paletes de textura mais eficientemente para toda a renderização, sendo que reduz o consumo da memoria RAM da placa gráfica. Por outro lado, isto pode aumentar o nível de processamento por parte do CPU, e pode causar erros nos gráficos. É recomendado que testes qual dos dois melhor funciona para ti.

  • Alpha Correction (FBA): (Apenas em modo DX9) Mantem isto activado, pois isto resolve alguns problemas de blending (misturas), que o modo DX9 pode apresentar.

    Sub secção do modo Software (Software mode Subsection):

    Apenas disponível quando se usa o modo de renderização por Software (escolhido acima). Aqui poderás escolher com quantos núcleos do processador queres que a emulação seja feita, ou activar filtros para melhorar a qualidade de imagem.

  • Rendering threads: Nesta opção, poderás escolher quantos núcleos queres que o GSdx use para processar a renderização, estando apenas disponível no modo software. Para tirares partido de todos os núcleos que o teu processador possa ter, segue o exemplo: Caso tenhas um quad core (processador com quatro núcleos), escolhe 3, ou caso tenhas um Hexa core (processador com 6 núcleos), escolhe 5. Este modo dá um aumento de velocidade de emulação bastante significante, sobretudo a partir de processadores com 4 núcleos.


  • Edge anti-aliasing (AA1): Esta opção só está disponível para o modo Software. Quando activada, o plugin irá tentar aplicar uma espécie de Anti Alising (suavizador de bordas) de modo a tentar melhorar a qualidade de imagem. Usa com precaução, pois é experimental por agora, podendo dar alguns problemas quando activado.

    Sub secção Hacks:

    Apenas disponível quando se edita manualmente o ficheiro de configurações do GSDX, o ficheiro GSdx.ini mudando a opção AllowHacks=0 para AllowHacks=1.
    Estas opções são APENAS para utilizadores avançados, que sabem o que estão a fazer. Estas opções podem e IRÃO causar severos problemas em jogos que as usem! (apenas afecta o modo Hardware).

  • HW Anti Aliasing: Adiciona anti alising à superfície renderizada. Isto irá dar um uso um pouco elevado á memória da tua placa gráfica, podendo até fazer o PCSX2 crashar caso não exista memória RAM suficiente.

  • Alpha Hack: Tenta usar isto caso o jogo tenha problemas com efeitos de nevoeiro à distância (fog).

  • Offset Hack: Este Hack adiciona um rebordo a todas as superfícies de modo a tentar reduzir os efeitos causados pelo upscaling (Scaling, ou Modos que usem escala). Usa isto quando existir desfocado (blur), ou efeitos circulares (halo) que possam parecer estar deslocados para cima / esquerda de onde deveriam estar.

  • Skipdraw Hack: Salta o desenho de superfícies completas, baseado em quão provavelmente estas são a causa dos problemas. Especifica quantas superfícies deverão ser saltadas após a primeira ser encontrada. Tenta valores baixos como 1 - 3 e só depois testa com valores mais altos (quanto mais alto o numero, maior será a probabilidade de começarem a aparecer defeitos nos gráficos e outros enfeites). Este hack também poderá causar aumentos de velocidade de emulação!


  • Gravação de Vídeos (Movie Capture): Esta é uma ferramenta oculta. Ao carregar em F12 enquanto o PCSX2 é executado (usando como plugin o GSdx), aparecerá uma mensagem no ecrã. No primeiro campo, deverás indicar ao plugin onde pretendes que o vídeo gravado no teu PC, escreve o nome do ficheiro aí também. No segundo campo poderás escolher a compressão via codec, como DivX, ou “Uncompressed”, sendo que o vídeo não é comprimido, resultando num ficheiro maior. Ao escolher um codec de compressão, poderás alterar as suas definições clicando no botão “Config”. Nota que só os codecs que estejam instalados no teu PC irão aparecer. Carrega no F12 novamente a qualquer altura para parar a gravação. O vídeo produzido irá ficar automaticamente com 100% de velocidade (velocidade real), mesmo que durante a gravação existam quebras de velocidade no emulador, resultando numa melhor experiência de vídeo para ti.


  • Clica em OK para salvar as tuas mudanças, ou Cancel para voltar a janela de configuração principal.

(Uma vez que deves estar a usar o ZZOgl em vez do ZeroGS em maior parte dos casos, esta secção precisa de uma revisão. No entanto, *quase* todas as definições são as mesmas.)

Selecciona o ZeroGS v0.97.1 e carrega no botão “Configure”.

  • ZeroGS é um plugin que usa DirectX 9 desenvolvido por ZeroFrog tendo sido feito para ser usado com placas gráficas que suportem pixel shader 2.0 ou superior. Como dito anteriormente, se a tua placa gráfica não suportar estes requerimentos, ser-te-á apresentado o erro “Error opening gs plugin”, e o PCSX2 será encerrado.

  • Interlace Enable: Quando esta opção está activada, alguns problemas de entrelace serão resolvidos (ecrã a tremer), no entanto alguns jogos ficam com melhor aspecto gráfico com isto desactivado. Podes mudar esta opção durante o jogo, carregando na tecla “F5”.

  • Bilinear Filtering: Quando esta opção está activada, o plugin irá filtrar os gráficos jogo com o filtro bilinear. Isto irá dar uma enorme quebra nos frames por segundo (FPS) excepto caso tenhas uma placa gráfica bastante forte. Também podes alterar esta opção durante o jogo carregando na tecla “Shift”, e enquanto a pressionar nesta, carregar na tecla “F5”. Existem 2 modos para esta opção: normal bf e forced bf. Algumas vezes os jogos irão dizer ao GS para renderizar as texturas com “point sampling” em vez de “linear sampling”. No modo “normal bf mode”, ZeroGS irá “dar ouvidos” ao jogo. Já no modo “Forced bf mode”, ele irá renderizar todas as texturas com o filtro bilinear. No entanto, este último modo pode introduzir alguns defeitos gráficos não desejados nas bordas de algumas texturas em alguns jogos, por isso usa esta opção com alguma caução. Por outro lado, em maior parte dos casos, a opção “Forced bf” irá dar uma imagem mais limpa e agradável que o seu anterior.

  • Anti-aliasing: Aqui podes escolher o nível de anti-alising (suavização de bordas da geometria 3D) que pretendes que o emulador use. Podes trocar entre os vários níveis de Anti Alising carregando na tecla F6. Tem em conta que, quanto maior a opção de AA escolhida, maior será a perda de desempenho, especialmente em sistemas com placas menos fortes.

    None: Não irá ser aplicado qualquer nível de anti-alising.
    2x: Será usado o modo 2X anti-aliasing
    4x: Será usado o modo 4X anti-aliasing
    8x: Será usado o modo 8X anti-aliasing
    16x: sera usado o modo 16X anti-aliasing

  • Wireframe rendering: Quando isto está activado, o jogo será processado sem as texturas, apenas no modo de wireframe. Neste modo, apenas consegues ver as linhas de geometria, que formam os modelos dos jogos (que posteriormente levam as texturas em cima). É basicamente, linhas “aqui e ali”. Podes também activar ou desactivar esta opção carregando na tecla “F7”.

  • Gravação de vídeos (Capture avi): Também podes gravar vídeos com este plugin, tal e qual como no GSdx! Carrega na tecla “F12” e uma janela irá aparecer para seleccionares o codec a usar. No entanto, devido ao plugin estar já desactualizado, só conseguirás usar o codec “XviD” pois os restantes codecs irão fazer o plugin dar erro. Após seleccionares o mesmo, podes configura-lo carregando no botão “Configure”. Carrega em “OK”, e o processo de gravação irá começar. Para parar a gravação, carrega novamente na tecla “F12” O vídeo será salvo na raiz da pasta do PCSX2 (onde está o ficheiro pcsx2.exe), sendo que terá o nome de “zerogs.avi”.

  • Save snapshots as BMPs(default is JPG): Com esta opção activada, ao carregar na tecla “F8” irá ser gravada uma imagem do jogo (na posição actual), sendo gravada em formato BMP em vez de JPG, que é a opção por pré definição. As imagens tiradas com este plugin estão localizadas na pasta /snaps que se encontra na raiz do directório do PCSX2.

  • Ecrã Cheio (Fullscreen): Muito simples, com isto activado o emulador irá renderizar o jogo em ecrã total (cheio) em vez de em modo janela. Se pretendes sair, ou se já estás a rodar o jogo e pretendes entrar ou sair do modo fullscreen, simplesmente carrega na tecla “Alt” e enquanto a seguras, carrega na tecla “Enter”.

  • Widescreen: Alguns jogos suportam o modo widescreen. Ao activar isto, o ZeroGS irá automaticamente mudar a escala da janela para 16:9.

  • Default Window Size: Podes alterar o tamanho da janela de renderização quando esta é iniciada, usando esta opção. Selecciona a que mais achares apropriada para ti, e não te preocupes pois esta opção não afecta a velocidade de emulação.

  • Podes activar ou desactivar a informação de quantos frames por Segundo (FPS) estão a ser processados, carregando na tecla “Shift” e enquanto a seguras, carrega na tecla “F7”.

Opções avançadas do ZeroGS (ZeroGS Advanced Options)

  • O plugin ZeroGS tem algumas opções extra que permitem alterar algumas as suas definições de renderização. Por vezes, alguns jogos utilizam o modo “Graphics Synthesier” de várias maneiras não esperadas, sendo que por vezes é impossível ao ZeroGS prever como fazer a sua emulação correctamente. Algumas opções podem fazer um jogo que não passa de um monte de gráficos sem sentido a rodar a uma velocidade incrivelmente baixa, num jogo com gráficos perfeitos e com a velocidade normal da PS2!

  • Se uma opção em particular trabalha muito bem para determinado jogo, esta pode ser guardada na parte “Game’s patch file” de modo a que seja aplicada automaticamente sempre que o jogo é iniciado. Esta é uma forma muito prática e rápida de activar opções especiais para determinados jogos, impedindo que estas afectem outros jogos, pois por vezes, a mesma opção pode afectar negativamente outros jogos.

  • Cada conjunto de opções no ZeroGS tem um ID único. Para consultar este ID, entra na janela de configuração do ZeroGS, escolhe a ou as opções que pretendes em particular, e clica no botão Compute OR of IDS que se encontra no fim da página. Copia o número gerado e abre o ficheiro de patch do jogo que pretendes (normalmente o ficheiro CRC.pnach), de seguida adiciona uma nova linha, desta forma: zerogs=xxxxxxxx em que os x’s são o número gerado.

Plugin GSnull v0.1.0

  • Como explicado no inicio desta secção, este é o plugin Null, sendo que este não irá dar qualquer imagem para o ecrã. Carrega em “Configure” para entrares no menu de configuração, onde poderás activar ou desactivar o ficheiro de log do GS. Normalmente é usado apenas para debug pelos desenvolvedores do PCSX2.

Som (Sound):


SPU2-X


O mais recente e melhor plugin de som para o PCSX2 no decorrer da escrita deste guia. Foi baseado no plugin Gigaherz's SPU2, e mais tarde modificado por Jake Stine (Air) da equipa do PCSX2. Este é o único plugin que suporta o processamento de alguns enfeites de som (como o reverb) ou Dolby Pro Logic (II) (caso a tua placa de som for capaz de descodifica-lo). É também o mais avançado em emular o chip de som correctamente, sendo que existem imensos jogos que só funcionam usando o SPU2-X!
  • Interpolation: Aqui podes escolher 1 de 5 opções totais:
    1)Nearest: Este modo aplica um modo de interpolação aproximado, e como o nome o sugere, é o modo mais rápido para interpolação.
    2)Linear: Este é o modo recomendado, pois usa interpolação linear para emular o som.
    3)Cubic: Este é outro método de interpolação. É mais lento que os outros, mas faz com que o som tenha as notas altas mais audíveis, logo melhor.
    4)Hermite: Mais um método de interpolação, sendo este ainda mais lento que o Cubic, mas possui ainda melhor emulação das notas de pico alto.
    5)Catmull-Rom: Este é o método final, sendo de todos o melhor. É mais lento que os restantes, no entanto é com este que se pode obter a melhor experiência sonora.

  • Disable effects processing: Ao utilizar esta opção, irá fazer com que o plugin deixe de emular o reverb (reverberação), e diminuindo a qualidade sonora significativamente, no entanto irá aumentar a velocidade da emulação.

  • Reverb boost factor: Como dito pela palavra “boost”, ao activar isto irá intensificar e acelerar a emulação dos efeitos de reverb (reverberação), no entanto poderá causar alguns bugs (erros) a nível sonoro.

  • Enable debug options: Ao activar isto, irá ficar disponível o botão de configuração para o debug de som. Ao clicar neste, este irá presentear-te com varias opções de log, que são utilizadas apenas para debug (tentativas de achar defeitos, usado por desenvolvedores).

  • Module: Aqui poderás escolher 1 de 5 opções diferentes, sendo as presentes nesta lista, os vários modos suportados pelo emulador de emitir som através do teu sistema:
    1)(Sem Som) No sound: Como dito, e bastante óbvio, ao activar isto, irá deixar de fazer a emulação do som, ou seja, não haverá som reproduzido. Ao faze-lo, irá aumentar a velocidade com que o jogo é emulador.
    2)X Audio 2: Este é o método recomendado, funciona melhor usando o Windows Vista / Windows 7, sendo que os utilizadores do Windows XP são convidados a testar o terceiro método desta lista antes de ficarem só com este.
    3)DirectSound: Este é um modo um pouco pior que o X Audio 2, usa-o apenas caso este funcione melhor que o anterior.
    4)Wave out: Não recomendado, as opções 2 e 3 funcionaram SEMPRE melhor que esta.
    5)Portaudio: Usa uma libraria multi plataforma chamada de Portaudio. Esta é a única opção para além de sem som, presente para uso no Linux.

  • (Latência) Latency: Quanto mais baixo o valor utilizado, mais rápido o som será emitido para as colunas (ou seja, menor será o atraso em emitir som para as colunas). Tem em atenção de que ao usares valores demasiado baixos, IRÁ causar erros no som, como saltos na musica ou estalidos, sendo que deverás usar o valor mínimo com que o teu jogo não dê problemas.

  • (Modo de sincronização) Synchronizing mode:
    • TimeStretch: Esta é a opção por defeito, e também a recomendada. Usando esta opção, irá manter o som e o vídeo em sintonia, sendo que também ajuda a eliminar os saltos e os estalidos que podem ocorrer. Nota que, com este modo, caso o teu jogo esteja a rodar lento, o som será emitido também lento, como quando diminuis a velocidade de uma música e o som fica longo, e mais grosso.
    • Async Mix: Irá fazer o som dessincronizar o som do vídeo, sendo que mesmo que o teu jogo esteja a rodar lento, a velocidade do som será mantida como se este estivesse a correr a toda a velocidade. Esta opção poderá fazer o jogo bloquear, ou fazer o emulador dar erro, usa-a com caução!
    • (Nenhum) None: O som irá saltar caso não tenhas o jogo sempre a velocidade máxima. Dá uma pequena ajuda na velocidade do emulador, podendo-se ganhar alguns Frames Por Segundo (FPS).

  • (Avançado) Advanced: Aqui poderás tonificar melhor a forma como o modo TimeStretch irá funcionar. Como descrito na janela da mesma, valores maiores irão ajudar caso o teu jogo esteja a rodar abaixo da velocidade normal (por exemplo, se o normal for 60, rodar a 40). Ao carregar em “Reset to Defaults” irá repor todas as definições de volta às definições de origem.

  • Audio Expansion mode: Aqui podes escolher se queres que o som produzido pelo plugin seja expandido para todas as tuas colunas, em vez de apenas reproduzir o some m 2 canais (stereo). Apenas disponível quando está em uso o modulo X Audio 2.
    • Stereo: Esta é a definição de origem, não existe expansão do som para além dos 2 canais.
    • Quadrafonic: Irá expandir o som para 4 colunas.
    • Surround 5.1: Irá expandir o som para colunas surround 5.1.
    • Surround 7.1: Irá expander o som para colunas surround 7.1.

  • (Usar plugin do Winamp) Use a Winamp DSP plugin: Se não sabes para que isto serve, não mexas aqui. (Esta opção não está disponível para Linux de momento.)

ZeroSPU2


Este é um plugin de SPU2 desenvolvido por zerofrog. Este plugin (ZeroSPU2) possui as seguintes especificações:
  • O ZeroSPU2 possui uma ferramenta de time-scaling (escalas de tempo), tal e qual como o SPU2-X. Para activar esta opção, entra na janela de configuração do ZeroSPU2, e escolhe esta opção na lista. Esta opção funciona melhor em ambiente Windows, mas também já está implementada no ambiente Linux.

  • O modo Real Time (Tempo Real) é um modo ainda mais rápido e preciso para jogos que precisam de uma acurácia maior e uma mais baixa latência.

  • Gravação de Vídeo/Audio (Audio/video recording): Activa esta opção para gravar o som reproduzido enquanto jogas, ficando o mesmo gravado na pasta do PCSX2 com o nome de zerospu.wav.

  • Mute: Não irá emitir som, dando um aumento de velocidade ligeiro à emulação do jogo.


PAD:


Aqui podes escolher um de dois plugins, sendo eles o Lilypad v0.10.0 e o SSSPSX v1.7.1.

Escolhe o SSSPSX Pad v1.7.1 e carrega no botão de configuração.



Verás uma janela parecida com esta:


Agora carrega no botão “Configure” para começar a configurar o SSSPSX Pad.
  • Aqui é bastante simples: carregas no nome do botão que desejas configurar, e de seguida carregas na tecla que pretendes que seja associada a esse botão. Se queres apagar uma tecla já configurada, só tens que carregar no respectivo botão e esperar que o tempo se esgote (Timeout chegar a 0), sendo que após isso o botão ficará sem nenhum correspondente de novo, ficando escrito no seu lugar “NONE”.

  • Clica nos separadores PAD1/PAD2 para alternar entre a configuração do controlador (comandos) 1 e 2.

  • O pluggin SSSPSX Pad suporta os controlos analógicos (“joysticks” dos comandos). Podes configurar os analógicos dos teus comandos com os botões “LX,LY,RX,RY”. LX é para o analógico direito, eixo X, LY é para o analógicos direito, mas eixo Y. Já RX e RY é para o analógico esquerdo, sendo para os eixos X e Y correspondentes.

  • Os botões R3 e L3 são os botões embutidos nos analógicos (ao pressionar os mesmos para dentro), sendo o R3 para o direito, e o L3 para o esquerdo consequentemente.

Escolhe o Lilypad v0.10.0 e carrega no botão de configuração. Verás uma janela parecida com esta (clica na imagem para ver em grande):


  • O plugin Lilypad é um plugin de input (entrada) muito avançado, suportando comandos de teclados, ratos, comandos de computador, e até de comandos da Xbox 360! Também inclui alguns hacks muito úteis para usar com o PCSX2, como o “ESC HACK”, e o hack para desactivar a protecção de ecrã.

  • Para uma descrição mais detalhada sobre como correctamente configurares este plugin, visita o tópico oficial do plugin clicando AQUI.
    Podes também fazer o download da versão mais recente do mesmo, da nossa secção de downloads!

Cdvdrom:


Na maior parte das circunstâncias, serás capaz de utilizar o leitor de ficheiros ISO embutido no PCSX2, escolhendo “ISO” no menu CDVD, e de seguida, dentro do menu de selecção de ISO’s, escolheres a ISO pretendida, adicionando-a a lista rápida.
No entanto, caso querias usar um plugin para poderes jogar a partir da tua drive de DVD, como um jogo original, ou até copiar esse mesmo jogo para o formato ISO no computador, clica em “Plugin” no menu CDVD e escolhe um plugin da lista. Por pré definição, está o plugn Gigaherz’s CDVD v0.8.0, o Linuz ISO CDVD v0.9.0 e o CDVDnull v0.6.0.

Escolhe o plugin Gigaherz's CDVD v0.8.0 e carrega no botão “Configure”.

  • Bastante simples, apenas escolhe a letra da drive de CD/DVD da drive de DVD do teu computador de onde pretendes que o Plugin leia o jogo. Irá rodar directamente o jogo da tua drive de DVD, como na PlayStation 2 normal!

  • Este é o único plugin que suporta a mudança de discos. Caso tenhas problemas a mudar um disco que seja requerido por algum jogo, deverás tentar com este plugin!

Escolhe o plugin Linuz Iso CDVD v0.9.0 e carrega em “Configure”.

  • Este plugin tem a habilidade extra de conseguir comprimir as tuas imagens dos jogos, salvando assim algum espaço em disco no teu computador, isto para além de as conseguir também executar directamente do teu computador!

  • Carrega em “Select Iso” para escolher a imagem do jogo que pretendes correr/comprimir. Uma vez escolhida a imagem, podes ou fechar esta janela de configuração de modo a usa-la para jogar, ou carregar em “Compress Isso” para a comprimir. Se esta já está comprimida, podes também escolher a opção “Decompress Iso” que a irá descomprimir.

  • Na parte “Compression Method” (método de compressão), podes escolher entre “.Z – Compress faster”, que irá comprimir as imagens de uma maneira mais rápida, mas deixando-as maiores, ou então escolher o modo “.BZ – compress better”, que irá comprimir melhor as tuas imagens, demorando mais tempo claro.

  • Dentro das opções, podes escolher se pretendes activar ou desactivar o "Enable Block Dump=>'block.dump'", sendo que esta opção irá criar um ficheiro chamado de “block.dump” na raiz da pasta do PCSX2 (onde o ficheiro pcsx2.exe está), do jogo que correres. Isto irá criar um ficheiro pequeno, como sendo uma pequena ISO, usada principalmente para debug (pelos desenvolvedores, claro). Este ficheiro irá conter alguns sectores que foram lidos durante a execução do jogo que correste, sendo que depois poderás abrir o ficheiro (usando a opção “Select Iso” do Linuz Iso CDVD), e correr a mesma sem o ISO/cd/dvd inicial. Atenção que, claro que se o jogo tentar ler outro ficheiro que não esteja presente do ficheiro de dump criado, irá fazer o jogo deixar de responder.

  • Carrega em OK para guardar as novas definições.


CDVDnull v0.6.0


  • Este é um plugin Null (nulo), tal como o GSnull, ou seja, significa que este plugin não faz nada. Não tem qualquer painel de configurações, por razões óbvias.


Dev9:


Aqui estão os plugins que simula o HDD (Disco Rígido) e a porta Ethernet. Apenas existe o Dev9null v0.5.0 incluído na versão 0.9.7 do PCSX2, no entanto, existe outro plugin Null que é tal e qual como todos os restantes Null. Para além disto, existe também um novo plugin de Dev9 em desenvolvimento por Luigi__, chamado de “MegaDev9”, sendo que este ainda está nos seus estágios iniciais, mas já mostra resultados promissores. Por agora, ele já consegue emular parcialmente o disco rígido da PS2. Podes fazer o download do mesmo, aqui.

Usb:


Aqui estão os plugins que simulam as entradas USB. Esta versão do PCSX2 apenas inclui o plugin USB Null v0.7.0, que é, para variar, outro plugin Null, que não faz nada. Também não tem nada para configurar, como é óbvio.

Firewire:


Estes são os plugins que simulam a porta Firewire da PS2. Apenas existe o FWnull v0.6.0 incluído nesta versão do PCSX2, e mais uma vez é também um plugin Null, que não faz nada. Nada para configurar ou ver aqui.

BIOS(Basic Input Output System)


Nesta lista poderás encontrar a imagem da tua bios, se claro, já tens e a colocaste na pasta que seleccionaste para as bios. Atenção que o único meio LEGAL de obter a bios é fazendo o seu dump da TUA Playstation 2. NÃO perguntes sobre onde obter a bios aqui no nosso fórum, pois é contra as regras do mesmo, isto pois a BIOS da PS2 é um material protegido por direitos de autor da Sony e isso faz com que a sua distribuição seja ilegal, ou seja, nós poderíamos ter problemas gravíssimos para a nossa parte se fosse-mos descobertos a fornecer imagens de Bios por aí. Se a tua imagem da BIOS não aparece na lista mesmo depois de teres te certificado de que escolheste bem a pasta, é porque o teu ficheiro não é uma imagem válida.
If your BIOS image does not even appear on list even after you have selected your right bios directory, it is an invalid image.

Atenção: É recomendado que tenhas todos os ficheiros de BIOS mais recentes que não o SCPH-10000.bin. Poderás correr a BIOS ou os jogos com estes, mas existe uma possibilidade de estes afectarem a compatibilidade do emulador de alguma forma. Isto inclui os ficheiros rom1.bin,rom2.bin,erom.bin e um ficheiro SCPH-XXXXX.nvm, onde os XXXXX são o número da versão da tua Bios (Ex: SCPH-34004.nvm). Este é o ultimo ficheiro pode ser criado com o PCSX2 após configurares a tua BIOS (escolher o horário do relógio, linguagem, etc), mas é muito melhor se tiveres os ficheiros ripados directamente da tua Playstation 2. Mais uma vez, lembra-te: NÃO PERGUNTES onde encontrar estes ficheiros, pois eles são parte da BIOS também.
Aqui fica uma explicação rápida sobre o que estes ficheiros fazem, dada por auMatt:

auMatt Wrote:Basicamente, nas primeiras PS2 japonesas, existia uma BIOS única, e o leitor de DVD, etc., eram instalados no cartão de memória. As PS2 que saíram após o primeiro modelo, já traziam o software do leitor de DVD a numa ROM (EROM) a parte, que vem encriptada. A Rom1 é um ficheiro adicional da BIOS que contém alguns extras como ID’s para o leitor de DVD, etc. Já o ficheiro ROM2 é basicamente a mesma coisa, mas acho que só está disponível nas consolas PS2 Japonesas.
Espero que isto ajude.

Uma novo programa para fazeres o dump da Bios da tua PS2 já está disponível, sendo que podes fazer o dump dos ficheiros de Bios,ROM1,ROM2,EROM e NVM. Obtém esse programa AQUI.

Nota: Para uma compatibilidade máxima é aconselhado que o teu ficheiro de BIOS seja outro que não o SCPH10000.BIN, pois este é o mais antigo de todos. Isto pois com esta BIOS, existem problemas com a emulação do cartão de memória, entre outros problemas que poderão ocorrer com o uso desta.

Como extrair os ficheiros de BIOS da tua PS2: Visita o site PS2Dev e também este tópico presente no nosso fórum AQUI.

Então agora finalmente termina-mos a configuração de todos os plugins do PCSX2.

Separador BIOS da janela de selector de Plugin/BIOS:


Aqui versa um ecrã parecido com o do ecrã de configuração inicial, que tem a mesma usabilidade, sendo que serve para escolher o ficheiro Bios da lista, bem como a pasta de onde o ficheiro de BIOS está a ser lido.

Separador “Folders” (Pastas) da janela “Plugin/BIOS”.


Aqui podes escolher as pastas onde os ficheiros necessários ao PCSX2 irão ser criados / guardados. Ao retirar o visto de “Use defauld setting”, podes clicar em “Browse” para escolher outra pasta a teu gosto para escolheres onde queres guardar os savestate (salvaguardas de estado), imagens, e logs/dumps.

Definições do Núcleo (Core settings)


Agora vamos configurar as definições do núcleo, que podem ser encontradas clicando em “Config”, e depois escolhendo “Emulation Settings”. Irás ver uma janela parecida com a seguinte (clica na imagem para ver em grande):


Existem seis abas, sendo elas o EE/IOP, VUs, GS, GS Window, Speedhacks e Gamefixes. Comecemos com a do EE/IOP.

Separador EE/IOP da janela “Emulation Settings”:


EE/IOP significa Emotion Engine / Input Output Processor, que são os componentes principais da Playstation 2 (processador). Abaixo, irei descrever que definições podes configurar nesta parte:
  • Emotion Engine: Escolhe “Recompiler” para activar o recompilador da Emotion Engine, isto irá dar um ENORME aumento de velocidade ao emulador. Tem uma compatibilidade extremamente grande, praticamente perfeita, sendo que deverás sempre usar isto. Ao escolher o modo “Interpreter” (interpretador), irás escolher o modo que possui a máxima compatibilidade que o PCSX2 pode oferecer de momento, no entanto é EXTREMAMENTE lento, estando presente basicamente apenas para debug.

  • IOP: O mesmo que as definições acima mostradas, mas para o “Input Output Processor”. Usar o modo “Interpreter” aqui não dá uma diminuição de velocidade tão grande, no entanto ainda é uma grande fatia de velocidade que vai ao ar se o usares.

  • Round mode: Altera o modo como o arredondamento dos float numbers é calculado Se o teu jogo está a congelar em algum lado (bloquear completamente), tenta mudar os valores aqui. Os por pré definição (Chop/zero) são os mais compatíveis. Pode também ser mudado automaticamente quando a parte “Enable patches” está activada dentro da parte “System”, sendo útil para alguns jogos que se sabe precisarem de valores diferentes dos por pré definição.

  • Clamping mode: Estas definições vão de mais rápidas para as mais lentas, de cima para baixo respectivamente. Então, quando “None” está escolhido, tens o modo mais rápido, mas também menos compatível em uso, sendo por consequência o “Full” o mais rápido e mais compatível. O valore por pré definição aqui é “Normal” que funciona perfeitamente com maior parte dos jogos sem comprometer muito a velocidade do emulador. Também pode ser mudado automaticamente ao iniciar um jogo em particular, usando os patches, em “Enable Patches” que se encontra na parte “System”, sendo isto usado para jogos que precisam de valores diferentes dos de origem.

  • Flush to Zero: Pode dar um pequeno aumento de velocidade, mas tem uma compatibilidade mais baixa. Recomendado.

  • Denormals are Zero: Dá um bom aumento de velocidade ao emulador sendo que não deverá causar quaisquer problemas.

  • Restore Defaults: Ao clicar aqui, todos os valores desta janela irão voltar aos seus valores por pré definição (sendo estes os a negrito no Windows Vista / Windows 7 ou os a verde no Windows XP.

Separador VUs da janela “Emulation Settings:”


A sigla VU’s significa “Vector Units”, que são os co-processadores da Playstation 2 que trabalham em paralelo com o EE e o IOP. A Playstation 2 tem 2 destes processadores, sendo eles chamados de VU0 e VU1. Abaixo iremos descrever as definições que se encontram neste separador:
  • VU0: Nesta pequena lista, tens 3 opções de escolha: Interpreter, microVU Recompiler e superVU Recompiler [legacy].

    • Interpreter: Ao escolher isto, o PCSX2 irá usar o modo Interpreter para a unidade VU0. É extremamente lento e também não é muito compatível. Só deve ser usado para debug e outros testes.

    • microVU Recompiler: Este é o mais recente recompilador da Vector Units, criado por cottonvibes. Esta opção tem extremamente alta compatibilidade com os vários jogos, é muito estável e é relativamente rápida. Recomendada.

    • superVU Recompiler [legacy]: Este é o recompilador antigo da Vector Units, criado por zerofrog. Não é mais activamente desenvolvido (daí ter a etiqueta de “Legacy”), sendo um pouco pior em termos de compatibilidade comparado com o microVU, mais instável, porém mais rápido. Apenas deve ser usado para identificar problemas com o novo recompilador (microVU), ou para os raros casos em que este apresenta melhor compatibilidade que o dito anterior.

  • VU1: Exactamente igual ao VU0, porém para o VU1.

  • Round mode: Igual ao EE/IOP

  • Clamp mode: Estas opções também vão de mais rápidas e menos compatíveis para as mais lentas e menos compatíveis, começando de cima para baixo respectivamente. Como tal, “None” é o modo mais rápido, porém menos compatível e “Extra+Preserve Sign” é o modo mais lento, porém mais compatível. A opção por pré definição aqui é a “Normal”, que funciona perfeitamente com maior parte dos jogos sem comprometer muito a velocidade. Se por acaso presenciares alguns polígonos fora do sitio, ou se te aparecerem gráficos muito estranhos em termos de vectores, experimenta utilizar o “Extra+Preserve Sign”. Esta opção pode ser mudada automaticamente ao iniciar um jogo em particular, caso os patches estejam activados em “System” » “Enable Patches”, sendo isto usado para jogos que precisem de definições diferentes das por pré definição.

  • Flush to Zero: Pode dar alguma ajuda a melhorar a velocidade, porém com baixa compatibilidade. Recomendado.

  • Denormals are Zero: Dá um ENORME aumento de velocidade ao emulador, sendo que não deverá ter quaisquer efeitos colaterais.
  • Restore Defaults: Ao clicar aqui, todos os valores desta janela irão voltar aos seus valores por pré definição (sendo estes os a negrito no Windows Vista / Windows 7 ou os a verde no Windows XP.

Separador GS da janela” Emulation Settings:”


A sigla GS significa “Graphics Synthesizer” que é responsável pelo processamento dos gráficos da Playstation 2 (dentro de outras coisas). Abaixo, iremos descrever as várias opções que aqui podes encontrar:

  • Framelimiter: As opções neste grupo são utilizadas para controlar a taxa de frames por segundo de várias formas.

    • (Desactivado) Disable Framelimiter: Ao activar isto, o teu jogo deverá rodar tão rápido quanto o teu o PC consiga processar, ignorando todas as opções abaixo e outros limites. Podes activar e desactivar durante o jogo pressionando na tecla F4.

    • Base Framerate Adjust: Aqui podes configurar a taxa de frames base para os teus jogos em percentagem (%). Se deixares as bases de frame rate NTSC e PAL intactas (60 e 50 fps respectivamente), 100% significará que estás a rodar a 60 FPS em NTSC ou 50 FPS caso estejas a usar PAL, sendo que 110% significa que estás a rodar a 66 FPS um jogo que é NTSC e 55 FPS caso este seja PAL, etc. O “Frame Limiter” (limitador de imagens por segundo, FPS – Frames (imagens) por Segundo) irá limitar os frames do jogo a estes valores. Meter esta opção acima de 100% NÃO é uma forma de aumentar a velocidade da emulação em si de maneira nenhuma caso o teu PC não atinja os 100%, sendo que o recomendado é deixar esta opção com o valor de 100%.

    • (Camera Lenta) Slow Motion Adjust: Aqui podes controlar a velocidade com que queres que o teu jogo rode, em percentagem, quando activas o modo de câmera lenta (slow motion). As percentagens são referentes as “Base Framerate” (acima), sendo que, se escreveres 50%, irá ficar a metade da velocidade que está configurada na parte “Base Framerate”, sendo esta calculada em FPS, como podes-te ver acima. Para activares / desactivares em pleno jogo, simplesmente carrega na tecla “Shift”, e enquanto a manténs pressionada, carrega na tecla “Tab” (ainda não funcional por agora).

    • Turbo Adjust: Idêntico ao modo Slow Motion, mas quando activado activarás o modo turbo, ficando o jogo acima da velocidade normal. Podes activar ou desactivar em pleno jogo carregando na tecla Tab.

    • NTSC Framerate: Altera a velocidade com que os jogos que estejam no formato NTSC irão trabalhar. A velocidade por pré definição (e normal) para este género de jogos é de 59.94 FPS, mas podes escolher um valor superior ou inferior para combina-la com as opções anteriores. Dica: Colocando isto a valores inferiores ao normal de origem, pode acelerar alguns jogos, porém poderá fazer outros não funcionar.

    • PAL Framerate: Altera a velocidade com que os jogos que estejam no formato PAL irão trabalhar. A velocidade por pré definição (e normal) para este género de jogos é de 50 FPS, mas podes escolher um valor superior ou inferior para combina-la com as opções anteriores. Dica: Colocando isto a valores inferiores ao normal de origem, pode acelerar alguns jogos, porém poderá fazer outros não funcionar.

  • Frame Skipping: As opções dentro deste grupo podem ser usadas para controlar a forma como o Frame Skipping (saltar / ignorar frames) funciona, sendo que esta ferramenta serve para dar a sensação de suavidade / maior rapidez nos jogos para quando os mesmos não conseguem atingir a velocidade normal, sendo que este modo irá saltar o desenho de alguns frames, de modo a acelerar o processo de desenho. Como descrito na janela, esta opção pode e irá causar alguns saltos no jogo, ecrã a piscar ou outros tipos de comportamentos estranhos, sendo que depende de jogo para jogo. Podes activar esta opção durante o jogo, carregando da tecla “Shift”, e enquanto a manténs pressionada, carrega na tecla “F4”.

    • Disabled: Quando seleccionado, esta opção irá desactivar o Frame Skipping, recomendado se o teu PC consegue atingir as velocidades necessárias para jogar com a velocidade normal.

    • Skip when on Turbo only: Com esta opção está activada, o Frame Skipping apenas será activado quando o modo turbo for activado.

    • Constant Skipping: Quando activada, activa o Frame Skipping constante (salta constantemente imagens).

    • Frames to Draw: Especifica quantos frames serão desenhados antes de saltar 1.

    • Frames to Skip: Especifica quantos frames irão ser saltados quando os acima foram desenhados.


  • Use Synchronized MTGS: Usa esta opção para usar um modo diferente de MTGS. Esta opção é muito lenta, sendo usada principalmente para propósito de testes (debug).

  • Disable all GS output: Esta opção, quando activada, irá fazer com que não sejam exibidos quaisquer gráficos pelo emulador. Esta opção é usada principalmente para fazer benchmark ao core do PCSX2, e para testes (debug).

Separador GS Window da janela “Emulation Settings:”


Aqui tens controlo sobre alguns aspectos do vídeo exibido pelo PCSX2. Abaixo iremos descrever as opções que se encontram nesta janela:

  • Apect Ratio: Aqui podes escolher “Fit to Window/Screen” (encher ecrã completamente, esticando a imagem), standard (4:3), que irá ajustar o aspecto do vídeo para resoluções 4:3, ou Widescreen (16:9) que faz a mesma coisa que o 4:3, porém para resoluções 16:9. Lembra-te que o vídeo do jogo irá ser esticado desta forma, deformando o aspecto normal do mesmo. Para usar Widescreen real, deverás sempre ir as opções dentro do próprio jogo, e mudar para widescreen (caso o jogo suporte esse modo).

  • Custom window size: Escolhe o teu tamanho de janela preferido, em pixels.

  • Disable window resize border: Quando activado, remove as boras usadas para alterar a resolução da janela onde é exibido o vídeo.

  • Always hide mouse cursor: Quando activada, o cursor (ponteiro do rato) não irá ser visível quando entra na área de exibição da janela de vídeo.

  • Hide window on suspend: Quando activada, a janela de exibição do video irá ser ocultada, enquanto a emulação está suspendida.

  • Default to fullscreen mode on open: Quando activada, o PCSX2 irá iniciar o jogo em ecrã cheio. Podes voltar para o modo janela, pressionando a tecla “Alt”, e enquanto a manténs pressionada, carregas na tecla “Enter”.

  • Use exclusive fullscreen mode (if available): Quando activada, um modo alternativo de ecrã cheio irá ser usado, sendo que este é melhor para os monitores CRT (mais antigos) e também para placas gráficas mais antigas. Este modo NÃO é recomendado, pois pode causar súbitos picos extremos de memoria (encher totalmente muito rápido a memória RAM) e / ou fazer o PCSX2 bloquear aleatoriamente ao mudar de modo janela para ecrã cheio, e vice versa.

  • Wait for vsync on refresh: Quando activada, o PCSX2 irá usar Vsync, que irá reduzir o chamado “tearing” (imagens cortadas no ecrã), mas poderá baixas bastante os FPS. Aplica-se apenas ao modo ecrã cheio, e poderá não funcionar com todos os plugins gráficos (plugins de GS).

Separador Speed Hacks da janela “Emulation Settings:”


Os “Speed Hacks” (algo como “truques para velocidade” em português), são técnicas variadas usadas para tentar aumentar a velocidade da emulação, sacrificando a acurácia da mesma. Todas estas opções podem e irão causar vários problemas como defeitos nos jogos, bloqueamentos súbitos no PCSX2, entre outros comportamentos anormais aleatórios, usa estas opções com caução! Para além disso, tem em atenção que estas opções só afectam alguns jogos, por isso poderás não obter qualquer aumento de velocidade, dependendo do jogo. Abaixo iremos descrever as opções desta página mais pormenorizadamente:
  • Enable speedhacks: Activa / desactiva esta opção para activar / desactivar os speedhacks seleccionados na lista.

  • Emotion Engine (EE) Cyclerate: Este hack aumenta o tempo que uma operação emulada demora, tornando a tarefa mais fácil para o teu CPU. Qualquer coisa para além das pré defenidas, poderão causar defeitos nos teus jogos, fazendo-os parecer lentos, ou começarem a saltar frames.

    • Default Cycle Rate – Nível 1 da barra: Isto não é um hack, sendo que isto irá emular o EE com os seus valores normais.
    • Nivel 2 da barra: Reduz o ciclo da emulação do EE em cerca de 33%. Dá um aumento de velocidade mediano, tendo pouco efeito em termos de compatibilidade.
    • Nivel 3 da barra: Reduz o ciclo da emulação do EE em cerca de 50%. Dá um grande aumento de velocidade, mas terá também uma grande diminuição da compatibilidade para com os jogos. Sendo que esta opção pode causar saltos no som / vídeo durante o jogo.


  • VU Cycle Stealing: Este hack aumenta o número de ciclos que a unidade de processamento VU (Vector Unit) irá “roubar” da EE (Emotion Engine). Este hack pode e irá causar leituras falsas dos FPS (especialmente apresentando valores mais altos) para além de outros problemas como o ecrã piscar, grandes perdas de velocidade em algumas áreas do jogo, entre outros problemas mais sérios com alguns jogos!

    • Nível 0 da barra: Isto não é um hack, sendo que isto irá emular VU (Vector Unit) com os seus valores normais, não roubando ciclo nenhum ao EE.
    • Nível 1 da barra: Pequeno aumento da velocidade, tentou muito pouco impacto na compatibilidade.
    • Nível 2 da barra: Grande aumento de velocidade, com um impacto na compatibilidade moderado.
    • Nível 3 da barra: Aumento de velocidade pequeno comparado ao nível 2, com um ENORME impacto na compatibilidade. Com este nível, maior parte dos jogos não irão funcionar correctamente, sendo que irão apresentar sintomas como imagens a piscar, perdas de velocidade, e em especial erros gráficos, sendo que oferece um aumento de velocidade muito pequeno comparado com o nível 2, quando este funciona claro. Não recomendado, amenos para apenas alguns jogos muito em específicos que conseguem funcionar bem com este nível.


  • Other Hacks: Outros hacks, com diferentes utilidades

    • Enable INTC Spin detection: Este hack utiliza um atalho para com algumas situações conhecidas em alguns jogos da PS2 quando eles se encontram em “idle” (algo como “descanso”). Lê a caixa de ajuda para uma explicação mais detalhada. Este hack, em vez de estar sempre a fazer o ciclo do modo idle, salta directamente para o seu final, e continua a partir daí. É bastante seguro activar esta opção, não só pois pode dar um grande aumento de velocidade, como também não tem praticamente nenhuns efeitos na compatibilidade. Recomendada.

    • Enable Wait Loop detection: Similar ao método anterior, lê a caixa de ajuda para uma explicação mais detalhada. Dá um aumento de velocidade mediano, sendo que não tem nenhum impacto na compatibilidade conhecido. Recomendado.

    • Enable fast CDVD: Reduz o tempo de loading (carregamento) dos jogos, alterando o tempo de acesso do disco para um modo mais rápido. Verifica a lista de compatibilidade de jogos do HDLoader para ver a lista de jogos que NÃO funcionam com este modo (normalmente marcados como “needs mode 1 or slow DVD” (Precisa do modo 1 ou modo DVD lento). Não recomendado, uma vez que pode fazer alguns jogos não funcionar.


  • microVU Hacks: Estes hacks são aplicados apenas quando o microVU está activado no separador “VU” da janela “Emulation Settings”. Se nesse separador estiver escolhido o modo superVU, este hack não irá ter qualquer efeito.

    • mVU flag hack: Verifica a caixa de ajuda para uma descrição mais detalhada de como esta opção funciona. Esta opção, dá um aumento de velocidade mediano, tento uma taxa de compatibilidade muito alta, logo é recomendado.

    • mVU block hack: Verifica a caixa de ajuda para uma descrição mais detalhada. Esta opção dá um aumento de velocidade moderado, tendo uma taxa de compatibilidade relativamente alta.

    • mVU Min/Max hack: Verifica a caixa de ajuda para uma descrição mais detalhada. Esta opção dá um pequeno aumento de velocidade, tenho um impacto na compatibilidade mediano.


  • Restore defaults: Ao clicar nesta opção, todas as definições irão regressar aos seus valores de origem (ou seja, irá desactivar todos os hacks seleccionados neste separador).

Separador “Game fixes” da janela “Emulation Settings:”


Como o nome o sugere (Game Fixes = Remendos para Jogos), estas opções são remendos especiais para alguns jogos, que por alguma razão ainda desconhecida precisam destas opções especiais para serem correctamente emulados. Tem em conta que estas são opções temporárias, sendo que só se manterão até que seja encontrado o problema com o PCSX2 que impede estes jogos de trabalharem da maneira normal, sendo que depois de reparado, a opção será retirada deste separador. Muitas destas opções já são automaticamente aplicadas quando a opção “Enable Patches” está activada na parte “System”.

  • VU Add hack: Este hack preciso para quando a PS2 não segue os standards de floats do IEEE. Activa-a apenas para os jogos 'Star Ocean 3','Valkyrie Profile 2' e 'Radiata Stories'.

  • VU Clip Flag Hack: Este hack é apenas necessário quando o superVU está a ser usado como recompilador no separador “VU” da janela “Emulation Settings”. É apenas preciso para jogos da “Persona”.

  • FPU Compare Hack: Este hack é preciso para limitar o limite de “floating points numbers” definidos pelo standard IEEE, que a PS2 não segue. Activa isto apenas para o jogo 'Digimon Rumble Arena 2'.

  • FPU Multiply Hack: Necessário para o jogo 'Tales of Destiny'.

  • FPU Negative Div Hack: Necessário para jogos da Gundam, sendo que este arranja os problemas com a câmera.

  • VU GXkick Hack: Adiciona alguns atrazos às instruções do VU XGkick. Necessário para o jogo 'Erementar Gerad'.

  • FFX videos fix: Faz com que o fluxo GIF seja executado antes do trabalho do IOU. Repara as barras cinzentas que aparecem nos vídeos do jogo 'Final Fantasy X'.

  • EE timing Hack: Este é um hack com vários propósitos, sendo que sabe-se que ajuda jogos como 'Digital Devil Saga', 'SSX', 'Resident Evil: Dead Aim'.

  • Skip MPEG Hack: Usado para saltar os vídeos de introdução que bloqueiam o PCSX2 em alguns jogos.

  • OPH flag Hack: Necessário para os jogos 'Bleach Blade Battler', 'Growlancer' II and III and 'Wizardry'

(Outras opções) Miscellaneous options


Agora para descrever as restantes opções deste menu:

  • System =>Boot CD/DVD (full): Se carregares aqui, o emulador irá correr a imagem do teu plugin de CDVD (ou ISO do selector interno), ou então ir-te-á perguntar qual a imagem que queres carregar caso não tenhas nenhuma seleccionada nas configurações do plugin CDVD. Se estás a usar o plugin Gigaherz CDVD, ele irá rodar o jogo instantaneamente da drive de CD/DVD que tens seleccionada. O modo “Full” (completo), irá simular completamente a PS2, passando pelo ecrã de Bios, tal como na consola verdadeira. Usa isto para jogos que têm uma linguagem diferente (escrita) ou para jogos com protecção anti cópia.

  • System =>Boot CD/DVD (fast): O mesmo que a versão acima, porém salta a introdução da BIOS, indo directamente para o jogo.

  • System =>Run ELF...: Podes usar isto para correr alguns demos, que estão praticamente sempre no formato .elf.

  • System =>Suspend/Resume: Podes usar esta opção para pausar / continuar a emulação a qualquer altura.

  • System =>Load State/Save State: Usa esta opção para carregar /salvar estados do jogo, enquanto corres o mesmo (como que um checkpoint do jogo, mas no sitio e momento que queres =p). Com a parte “Others”, podes especificar tu mesmo o nome dos ficheiros para além dos que o PCSX2 usa por pré definição.

  • System =>Check/Uncheck Enable Patches: Com esta opção, podes activar/desactivar os “Game Patch”. Os patch podem ter vários usos, deste controlar o “ignorar” vídeos que ainda não conseguem ser bem emulados, e pode impedir o emulador de progredir para outros mais avançados. Activando esta opção irá fazer o PCSX2 usar definições especiais e remendos especais para alguns problemas bem conhecidos em alguns jogos.

  • System =>Check/Uncheck Enable Cheats: Isto irá activar/desactivar os cheats (códigos de desbloqueios, ou truques) dos jogos. Os cheats funcionam com o mesmo sistema dos patches, mas são carregados da pasta cheats do PCSX2. Clica aqui para leres alguns guias no nosso fórum sobre como criar ficheiros de cheats para o PCSX2.

  • System =>Check/Uncheck Enable Host Filesystem: Isto irá activar/desactivar o Host dos ficheiros de sistema do PCSX2, que é usado principalmente por demos e software caseiro (homebrew).

  • System =>Shutdown: Isto irá parar o jogo que estás a jogar e reiniciar o PCSX2.

  • System =>Exit: Fecha o PCSX2

  • CDVD =>
    • Iso Selector: Isto é o selector de ISO’s interno do PCSX2, sendo que este não utiliza qualquer plugin de CDVD. Podes escolher um ficheiro de imagem que seja suportado pelo PCSX2 clicando em “Browse” e de seguida corre-lo. Para te facilitar a vida, este menu também mantém uma lista dos jogos recentemente jogados. Isto só irá funcionar se a ISO for escolhida no menu abaixo!
    • Plugin Menu-Plugin Settings: Isto irá mostrar-te que plugin de CDVD escolheste, e deixar-te configura-lo a partir daqui (em vez de abrir manualmente a janela Plugin/BIOS).
    • ISO-Plugin-No Disc: Este menu controla a fonte de onde o PCSX2 irá carregar os jogos. Se escolheres ISO, será usado o leitor interno de ISO’s para carregar o jogo que escolheres (como descrito acima). Se escolheres plugin, será usado o plugin que está configurado para carregar os teus jogos. Se escolheres “No Disc” (sem disco), sendo este modo usado para entrar na BIOS.

  • Config =>
    • Emulation Settings: Irá abrir a janela “Emulation Settings” que já descrevemos no início deste guia.

    • Memory cards: Irá abrir o gerenciador dos cartões de memória.

    • Ao clicar em “browse”, poderás especificar uma pasta a teu gosto de onde pretendes que o PCSX2 carregue os dados os cartões de memória.

    • Escolhe qualquer um dos cartões de memoria da lista, para teres os botões “Disable” (desactivar) e “Delete” (apagar) desbloqueados, e ao clicá-los, irá efectuar a respectiva acção ao mesmo, descrita entre parênteses anteriormente.

    • Enable Multitap on Port 1: Activa o suporte de vários cartões para a porta 1: Irá activar o suporte para vários cartões de memória, até 4 cartões. Ainda não funciona bem, sendo que estamos a trabalhar nisto ainda.
    • Enable Multitap on Port 2: O mesmo que descrito acima, mas para a porta 2 da Playstation 2.

    • Auto-Eject Memcards when loading save states: A descrição está na janela, recomendado estar activada.

  • Video (GS)/Audio (SPU2)/Controllers (PAD)/Dev9/USB/Firewire =>Plugin Settings: Irá abrir a janela de configuração do plugin selecionado (listado aqui) sendo Video/Audio/Pad/Dev9/USB/Firewire respectivamente.
  • Patches: Irão abrir o explorador de patches. Ainda não implementado no PCSX2 0.9.7 beta.
  • Multitap 1: Irá activar o Multitap 1. Ainda não implementado no PCSX2 0.9.7 beta.
  • Multitap 2: Irá activar o Multitap 2. Ainda não implementado no PCSX2 0.9.7 beta.

  • Clear all Settings: Irá apagar todas as definições do PCSX2, restaurando-as para as de origem, e irá executar o programa de configuração inicial.

  • Misc =>
    • Check/Uncheck Show Console: Isto irá activar/desactivar a segunda janela de aparecer atrás do PCSX2, sendo que esta é usada principalmente para debug. Nessa janela (preta) tens várias mensagens durante vários momentos do emulador, sendo que estas podem ajudar a descrever o problema que se passa, pois esta consola diz quase tudo o que o PCSX2 está a fazer. Mensagens a vermelho são erros, e a amarelo são mensagens de avisos.

    • Print cdvd info: Se activada, as leituras do CD/DVD no emulador irão ser escritas na consola (janela preta) do emulador. Usado principalmente para debug.

  • About (Sobre): Esta é a comum janela “Sobre”. Aqui podes ver quem são os autores do emulador, e alguns agradecimentos especiais a colaboradores do mesmo.

Se depois de leres este guia ainda estás com problemas a usar o emulador, posta o teu problema no nosso fórum (Fórum do PCSX2), clicando AQUI, mas fá-lo apenas após ler as regras do mesmo cuidadosamente!

Voltar para o Topo

Então, ficamos por aqui! Espero que isto tenha sido útil para todas as pessoas que são novas e inexperientes a usar o PCSX2 e que também seja útil para alguns membros que gostem de alterar as definições de modo a melhorar a sua experiencia com o emulador, ou até mesmo para os ajudar a por mais alguns jogos a funcionar que antes não o faziam.
Um grande obrigado ao Gigaherz por ter explicado como se fazia o índice funcionar no Firefox. Smile
Muito obrigado também ao meu amigo Regulus pelo fundo, os emoticons, pelo script e pela ajuda prestada!
Muito obrigado também ao Razor Blade por ter arranjado as bordas das imagens.
Agradecimentos especiais ao crushtest por ter apontado alguns problemas com o Firefox e pelas suas sugestões.
Agradecimentos especiais ao Nachbrenner pelas suas sugestões e contribuições.
Agradecimentos especiais ao Falcon4ever por me “chatear” com a validação do XHTML.
Agradecimentos especiais ao rama por me ter ajudado dando algumas explicações.

Guia originalmente feito em inglês por Bositman.
Traduzido para Português de Portugal por Pauinho.
Not much to say here Ninja

Sponsored links

#2
Se alguém detectar algum erro com o guia, por favor envie-me uma mensagem pessoal e irei corrigir imediatamente.
Not much to say here Ninja




Users browsing this thread: 1 Guest(s)